2017-06-19

Mantenha as boas lembranças, mas vista a camisa da nova empresa - by Max Gehringer

Transcrição do comentário do Max Gehringer para a rádio CBN, do dia 19/06/2017, com um ouvinte que foi despedido, foi contratado por uma empresa menor concorrente e se sente traindo a empresa que o demitiu.

Áudio original disponível no site da CBN. E se você quiser ler os comentários anteriores do Max Gehringer, publicados aqui, basta clicar neste link.

/==========================================================================

Mantenha as boas lembranças, mas vista a camisa da nova empresa

vestindo a camisa da empresa

Um ouvinte escreve: "Trabalhei 19 anos em uma empresa de grande porte. Foi o único emprego de minha vida até eu ser demitido. Eu gostava demais daquela empresa, mas entendi e aceitei as razões da minha dispensa, motivada pela crise. Após meses procurando, consegui me empregar em uma empresa de menor porte, que é concorrente direta daquela da qual saí. São produtos semelhantes e os mesmos clientes. A cada coisa que faço, sinto-me como se estivesse traindo aquela primeira empresa, que me proporcionou todas as oportunidades profissionais que tive na carreira. O que você pode me dizer?"

Vamos lá. Nos meses depois da sua saída, alguém daquela empresa ligou para você, para lhe perguntar como você estava e se oferecendo para ajudá-lo? Não estou me referindo a contatos de amigos que você deixou por lá, mas de pessoas falando oficialmente em nome da empresa e mostrando interesse em sua situação profissional.

Eu acredito que ninguém tenha ligado. Depois que você saiu, seu nome virou história. Uma boa história, sem dúvida, mas que terminou.

Agora, a nova empresa que o contratou espera de você dedicação total e irrestrita. Se você deixar de fazer qualquer coisa em benefício dela, para não prejudicar a empresa anterior, aí sim seria uma traição. Você estaria traindo a confiança que foi depositada em você quando de sua contratação.

Portanto guarde as boas lembranças, mas mostre, a cada momento, que você mudou de time quando mudou de emprego.

Max Gehringer, para CBN.


No comments:

Blog Widget by LinkWithin